Missa de Acolhida dos Restos Mortais de Dom Stanislau

Existe um ditado popular que diz que “o bom filho à casa torna” e com Dom Stanislau Van Mellis a realidade foi mais ou menos essa. Em 1958 ele chegou a Goiás como missionário passionista e ficou trabalhando aqui até 1962, ano em que se tornou bispo da prelazia de São Luís de Montes Belos, logo elevada à condição de diocese. Ele serviu como bispo diocesano até 1987, quando deixou o governo da diocese. Ele morreu em 1998, na Holanda. Desde 2015, Dom Carmelo começou a fazer os trâmites para trazê-lo ao Brasil, para que seus restos mortais estivessem numa cripta preparada na Catedral de São Luís, igreja que o próprio dom Stanislau construiu.

 A celebração em que foram depositados seus restos mortais na igreja aconteceu no último dia 20 de junho, durante os festejos do padroeiro paroquial e diocesano, São Luís Gonzaga. Como representante da congregação passionista, da qual fazia parte Dom Stanislau, estava presente o provincial padre Giovanni. Dom Carmelo ressaltou em sua homilia o papel de construtor da diocese que dom Stanislau exerceu e como as preocupações pastorais daquela época são as preocupações de hoje, porém com novos desafios.

Para quem quiser visitar o túmulo de Dom Stanislau basta ir até a Igreja Catedral, em São Luís de Montes Belos, durante os dias de semana ou nas celebrações, ele se encontra ao lado do sacrário. Que o Bom Deus nos faça ver no exemplo de serviço e entrega de dom Stanislau aquilo que todos nós da diocese devemos estar dispostos a doar em prol do Reino de Deus!

 

Histórico de vida de Dom Stanislau

Dom Stanislau nasceu em 19/03/1911 em Zeeland, na Holanda. Ingressou na congregação dos padres Passionistas onde fez sua profissão religiosa. Ordenou sacerdote em 1936, em Mook, na Holanda.

No ano de 1937 foi escolhido para dirigir o seminário menor Passionista na Bulgária, onde ficou 10 anos. Em 1947 foi eleito Vigário decano na Bulgária, dois anos depois eleito superior regional de sua congregação naquele país.

Em 1954, padre Stanislau cursou em Roma seu doutorado em história da igreja. Planejou e realizou a missão Passionista no Brasil, oferecendo-se também para vim para nosso país. Com sua vinda foi nomeado Superior Regional dos Passionistas em Goiás. Instalou-se inicialmente em Goiânia, onde fundou a casa São Pio X, assumindo o cargo de Vigário Ecônomo daquela Paróquia.

Tendo a Santa Sé criado em 25/11/1961 a prelazia de São Luís de Montes Belos, ele foi escolhido como seu vigário geral. Em 1963 foi nomeado pelo Santo Padre o Papa João XXIII como primeiro bispo prelado de São Luís, com o lema “Em edificação do corpo de Cristo”.

As paróquias da diocese se estruturaram com a administração de Dom Stanislau, foi ele o responsável pela divisão das cinco regiões pastorais que permanece a mesma até hoje. As cidades se desenvolveram com a chegada dos padres Passionistas, em torno das construções paroquiais vieram benfeitorias para as essas regiões.

Em São Luís as grandes construções foram feitas também com a administração de Dom Stanislau, que conseguia verbas da Holanda e de outros países através dos projetos elaborados por ele. Também as famílias dos padres Holandeses ajudaram muito as paróquias, com verbas para construir salas para reuniões, formações e catequese. As estruturações das pastorais e movimentos também se iniciaram com a administração de Dom Stanislau. Foi responsável pela implantação do primeiro seminário menor diocesano, em São Luís no ano de 1965.

A professora aposentada Vilma Avelar conviveu diretamente com Dom Stanislau, sendo catequista e membro de várias pastorais e movimentos na época em que ele era bispo de São Luís. Ela conta que Dom Stanislau possuía um espírito empreendedor, era muito estudioso, gostava de ouvir música clássica, de conviver com as pessoas e estava sempre disposto a acolher e escutar todos que o procuravam em sua casa. Sendo o primeiro doutor em São Luís possuía uma vasta biblioteca. Lembra também que quando veio da Bulgária Dom Stanislau trouxe com ele clandestinamente uma refugiada, ainda muito jovem, chamada Felícia. Felícia sempre trabalhou com o bispo e serviu à diocese de São Luís e aos padres Passionistas até sua morte.

Dom Stanislau, junto com toda sua equipe de Passionistas, vieram e plantaram as sementes, outros cuidaram e agora estamos colhendo os frutos daquilo que foi feito com tanta dedicação e carinho.

clique em cima da imagem para conferir as fotos da Missa de Acolhida dos restos mortais de Dom Stanislau